As Cores do Luto Variam Pelas Culturas no Mundo

Tempo de leitura: 2 minutos

O fim da vida chega para todos, mas cada cultura lida com o momento à sua maneira. Além das diferentes tradições religiosas e costumes como o funeral, cremação, coroa de flores e celebração póstuma, por exemplo, o luto é um período comum a todos que perdem um ente querido.

Na cultura ocidental, há algumas pequenas convenções de etiqueta e comportamento para que possamos ajudar os familiares e amigos enlutados a passarem por esse momento tão delicado. Apesar de não ser uma regra, por aqui a cor associada ao luto é o preto, e é comum que as pessoas se vistam assim nos velórios

Os costumes relacionados ao luto eram muitos severos, principalmente para as viúvas da Europa Ocidental da Era Vitoriana (século XIX). De acordo com diversos historiadores,  elas deviam vestir-se totalmente de preto por dois anos inteiros. Neste código de vestimenta estava inclusos os acessórios da época, como lenços, sombrinhas e luvas, e o preto do luto não era substituído nem nos eventos mais formais. Além disso, era recomendado cobrir o rosto com um véu e evitar as joias durante o período.

Um exemplo clássico de como a cor preta estava profundamente ligada ao luto foi a vida da Rainha Vitória. Após o falecimento de seu amado marido, o príncipe-consorte Albert, a monarca usou os trajes pretos, para simbolizar sua dor, até o fim da sua vida.

Na Ásia: o branco

Não é incomum que também no Brasil algumas pessoas ou grupos em luto usem o branco como analogia à paz. 

A cor branca, que está associada à rememoração do silêncio, paz e tranquilidade, já simboliza o luto há muito tempo em países como a Índia, China e Japão.

Vermelho e Amarelo na África

Em algumas regiões da África do Sul, o vermelho é a cor que expressa a partida de um ente querido. Já no Egito, a cor da perda é o amarelo, em referências às folhas folhas secas e fim do ciclo da vida.

Azul Celeste no Oriente Médio

No Irã e na Sìria, o azul celeste, cor considerada alegre em muitas outras outras partes do mundo, simboliza o momento dos enlutados.